Divulgação: A Luz da Princesa - Saga os 5 Elementos de Carina Sapateiro

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Edição/reimpressão: 2016
Páginas: 228
Editor: Chiado Editora
ISBN: 9789895131808
Idioma: Português
Sinopse: Diz a lenda que uma terrível guerra entre mundos ameaça causar o fim do Universo. Fairyland, o reino das fadas, encontra-se desprotegido devido ao desaparecimento misterioso da rainha. Aos poucos, o rei dos vampiros vai adquirindo mais e mais poder, corrompendo todas as criaturas dos diversos mundos. A jovem princesa Alexia, abandonada no reino dos humanos ainda em bebé, é a única capaz de salvar o Universo e todas as suas criaturas. Para isso, ela vai contar com a ajuda dos cinco cristais mágicos e de todos os aliados que encontrar pelo caminho.
Katherine nunca acreditou em lendas ou histórias mitológicas. Para ela, tudo isso não passavam de invenções sem sentido. Desde pequena que fora educada a acreditar apenas naquilo que era visível aos seus olhos. Porém, de um momento para o outro, a vida dela muda drasticamente e, ela vê-se forçada a enfrentar uma nova realidade. Uma realidade assustadora que, até então, ela desconhecia ser possível. Ninguém é quem ela pensava ser, nem mesmo os seus amigos e familiares. Como tal, Katherine inicia uma busca pela sua verdadeira identidade. Mas estará ela preparada para saber toda a verdade?

Book Trailer



Onde comprar
Excerto

"Estava a meio caminho quando se deu conta que os passos que seguiam atrás de si desde que saíra do bar estavam cada vez mais próximos. Tentou olhar discretamente, mas apenas conseguiu ver um vulto envolto numa capa preta que caminhava a passos largos na sua direcção. Sentiu um arrepio percorrer-lhe o corpo. Começou a andar mais depressa. À medida que ia aumentando o ritmo, os passos do estranho tentavam acompanhá-la. 
O seu coração estava cada vez mais acelerado e o medo crescia dentro do seu peito à medida que o estranho se ia aproximando. Nunca na vida tinha sentido tanto medo como sentia naquele momento. Começava a sentir-se cansada. Tentou correr, mas os pés começavam a pesar e as forças para continuar eram cada vez menos. A sua respiração começava a ficar ofegante e conseguia ouvir os passos do estranho a aproximarem-se mais e mais. Estremecia só de pensar no que poderia acontecer caso ele a alcançasse.
Estava escuro e frio. Era impossível ver o caminho. Olhou à sua volta e foi aí que percebeu que tinha entrado numa rua estreita ficando cercada por duas paredes. A única solução era correr em frente, não havia outro caminho. [...] Ao longe conseguia ver uma luz brilhante, talvez fosse a luz de um candeeiro da avenida principal que ficava próxima da sua casa.
A sua esperança crescia à medida que se aproximava da luz. Porém, começava a ficar cada vez mais cansada e fraca. Já não tinha energia para correr àquela velocidade. Eram poucas as forças que lhe restavam, mas não podia parar. Não agora que estava tão perto da luz. Tinha de conseguir chegar à avenida, talvez aí conseguisse despistar o estranho que a perseguia e, assim, regressar sã e salva a casa. A luz estava cada vez mais próxima. Faltava pouco para a conseguir alcançar. Estava a poucos metros de distância. Quando parou subitamente. Era o fim do percurso. [...] A luz da sua esperança era agora a luz da sua desilusão. Atrás de si, os passos tinham parado. O pensamento de que ele poderia ter desistido de persegui-la veio-lhe à mente. Calmamente, Katherine começou a virar-se para ter a certeza de que não estava ali ninguém e que tudo aquilo não passara de uma ilusão. Foi então que o viu, o seu pior pesadelo."

Sobre a autora

Carina Sapateiro é uma jovem de 22 anos. Nasceu em Lisboa em Agosto de 1994, mas foi na cidade de Montijo, na margem Sul do rio Tejo, que passou toda a sua infância, acompanhada da sua família, amigos e animais. 
Desde muito cedo, Carina manifestou a sua admiração pelos animais, pela natureza e pelo mundo místico, pelo desconhecido. A leitura e a escrita começaram a fazer parte da sua vida desde que descobriu os cadernos e os lápis nas gavetas da sua casa. 
Aos 10 anos já escrevia inúmeras histórias, sendo constantemente elogiada nas aulas de português pelas belíssimas composições desenvolvidas. Aos 18 anos, ingressou num curso de teatro, descobrindo outra grande paixão, o mundo da representação. 
A "Luz da Princesa" é o seu primeiro romance. Começou a ser escrito quase por acaso, mas depressa se tornou em algo de muito concreto, um sonho tornado realidade.

| Review | Obsidian de Jennifer L. Armentrout

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017


Sinopse/Synopsis: Starting over sucks. When we moved to West Virginia right before my senior year, I'd pretty much resigned myself with thick accents, dodgy internet access, and a whole lot of boring... until I spotted mu hot neighbor, with his looming height and eerie green eyes. Thins were looking up. And then he opened his mouth. Daemon is infuriating. Arrogant. Stab-worthy. We do not get along. At all. But when a stranger attacks me and Daemon literally freezes time with a wave of his hand, well, something...unespected happens. The hot alien living next door markes me. You heard me. Alien. Turns out Daemon and his sister have a galaxy of enemies wanting to steal their abilities and Daemon's touch has me lit up like the Vegas Strip. The only way I'm getting out of this alive is by sticking close do Daemon until my alien mojo fades. If I don't kill him first, that is. 

Sete Minutos Depois da Meia-Noite de Patrick Ness

sábado, 21 de janeiro de 2017

Sinopse: Passava pouco da meia-noite quando o monstro apareceu. Mas não era exactamente o monstro de que Conor estava à espera, o monstro do pesadelo que ele tem tido quase todas as noites desde que a mãe iniciou os tratamentos. Este é antigo, selvagem e muito mais perigoso, e aparece sempre que o enorme teixo do cemitério das traseiras da casa de Conor ganha vida e vem bater com os ramos na janela do seu quarto, desafiando-o a contar toda a verdade

Opinião: De uma maneira distorcida, poucas páginas após o começo de Sete Minutos Depois da Meia-Noite é difícil gostar de Conor pelas suas palavras e pelas suas acções mas, com o passar das páginas, senti uma empatia cada vez maior, consequência da verdade que é revelada pouco a pouco. O monstro que surge, quase como uma metáfora à dor de Conor, um pedido inconsciente de uma mente sofrida, é o meu favorito e, os momentos em que são uno, deixaram-me o coração a arder. Os diálogos são belos e profundos, e as histórias do monstro, apesar de inicialmente confusas, fazem sentido com o passar do tempo.
A verdade permanece um mistério até às últimas páginas, no entanto, somos capazes de imagina-la. O monstro escuro que parece consumi-lo durante as noites. A sensação de impotência e de desespero que o atravessa. A imaginação tem dessas coisas. Através dela conseguimos com facilidade colocar-nos na posição de um personagem/de outra pessoa. Nunca chegamos realmente a saber qual é a doença que quer roubar a vida à mãe de Conor mas, mais uma vez, podemos imagina-la, podemos adivinhar.
Em Sete Minutos Depois da Meia-Noite nunca me senti aborrecida e a jornada de Conor até ao inevitável é emocionalmente desgastante e, através das páginas, mais ou menos coloridas, das ilustrações mais ou menos disformes, conseguimos sentir os medos e a dor do rapaz. Estamos em completa sintonia com a escrita de Patrick Ness e posso afirmar que os momentos e os diálogos com a mãe ou com o monstro foram aqueles que despertaram uma maior emoção ou compreensão em relação à própria vivência e personalidade de Conor. As últimas páginas são, sem dúvida, as melhores, a emoção é pura e a conclusão dura.
Uma história belíssima.
Outros títulos do autor
*Sete Minutos Depois da Meia-Noite 
*More Than This 
*The Rest of Us Just live Here 

P.S. Ainda te Amo de Jenny Han

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Sinopse: Lara Jean sempre teve uma vida amorosa muito atribulada, pelo menos na sua imaginação. Ela jamais imaginou que as cartas que escreveu a despedir-se dos rapazes por quem se apaixonou, mas a quem nunca teve coragem de confessar o seu amor, chegassem às maços dos seus destinatários. E por causa disso meteu-se numa grande confusão. Para escapar à vergonha, começou um namoro a fingir com Peter Kavinsky.
Lara nunca esperou apaixonar-se a sério por Peter. E por isso está mais confusa do que nunca.
Agora, ela terá de aprender a estar num relacionamento que, pela primeira vez, é verdadeiro. Porém, quando um outro rapaz do seu passado reaparece na sua vida, Lara percebe que também nutre por ele sentimentos mais profundos. Será possível uma rapariga estar apaixonada por dois rapazes ao mesmo tempo?

Opinião: P.S. Ainda te Amo de Jenny Han segue a vida de Lara Jean após os acontecimentos de A Todos os Rapazes que Amei. Uma sequela de um livro contemporâneo, não é algo que se veja com frequência, no entanto, era precisa. A Todos os Rapazes que Amei possui uma conclusão indefinida e abrupta que deixa espaço à imaginação mas com demasiadas pontas soltas para ser satisfatório. Como no primeiro volume, Jenny Han com a sua escrita simples e descritiva e com os seus capítulos curtos, conseguiu com que me embrenhasse novamente e com facilidade na história de Lara Jean e fez com que ficasse em directa sintonia com as suas emoções.
Mas, em P.S. Ainda te Amo, senti que se perdeu qualquer coisa. Em A Todos os Rapazes que Amei havia a componente de choque, de surpresa de alívio cómico com o envio mistério das cartas de amor e respectivas respostas, no entanto, neste segundo volume, não há realmente esse componente diferente e que elevou o conteúdo e a qualidade de A Todos os Rapazes que Amei. Ao invés, é um livro onde seguimos o que acontece depois e que muitas das vezes não nos é dado a conhecer.
Neste segundo volume há diferenças que são importantes e algumas vezes, divertidas, mas também há aparecimentos previsíveis e acções frustrantes. Em A Todos os Rapazes que Amei somos apresentados a um mundo rodeado de estereótipos que já foi representado demasiadas vezes nos livros juvenis mas, neste caso, as motivações por detrás de algumas das acções dos nossos personagens são dúbias e remontam a um passado que parece longínquo pelo que, para mim, não me fez muito sentido.
Ao contrário de A Todos os Rapazes que Amei, não adorei cada minuto. Houve vezes, mais do que as que queria, onde Lara Jean com a sua ingenuidade me irritou. Mais do que isso, Lara Jean é uma protagonista com uma voz relativamente forte, engraçada e, com motivações puras mas que é facilmente influenciável por vozes externas e que dá demasiada importância aos pensamentos das pessoas que a rodeiam.
Mais do que isso, neste segundo livro, Jenny Han escreve sobre um problema real, o cyberbulling, no entanto, como a descoberta dos segredos de Genevieve, acaba por "roçar" ao de leve a gravidade e as cicatrizes emocionais que muitas das vezes são consequências desse sofrimento. Lara Jean passou apenas ao de leve, numa situação que, noutros casos, podia ter resultados mais desastrosos e, aqui, acho que a autora não fez justiça ao problema que apresentou. Para mim, P.S. Ainda te Amo, não faz justiça ao seu primeiro volume.
Outros títulos da colecção
*A Todos os Rapazes que Amei
*PS: Ainda te Amo
*Always and Forever Lara Jean

Outros livros da autora
*The Summer I Turned Pretty
*It's Not Summer Without You
*We'll always haver Summer 

| Review | Tudo, Tudo e Nós de Nicola Yoon

terça-feira, 10 de janeiro de 2017


Sinopse: Madeline Whittier observa o mundo pela janela. Tem uma doença rara que a impede de sair de casa. Apesar disso, Maddy leva uma vida tranquila na companhia da mãe eda sua enfermeira - até ao dia em que Olly um rapaz vestido de preto, se muda para a casa ao lado e os seus olhares se cruzam pela primeira vez. De repente, torna-se impossível para Maddy voltar à velha rotina e ignorar o fascínio do exterior - mesmo que isso ponha a sua vida em risco.

OpiniãoCom Tudo, Tudo e Nós, Nicola Yoon preencheu cada canto da minha mente durante os minutos que durou a sua leitura. Um livro compulsivo ao qual vi-me incapaz de escapar, entreguei-me completamente e, com isso, recebi mais do que aquilo que estava à espera. Pouco ou nada sabia sobre a história de Madeline mas, ainda assim, fui arrastada para o seu mundo pequeno como se a gravidade não me dessa outra escolha.

Amanhecer de Stephanie Meyer

sábado, 7 de janeiro de 2017

Sinopse: Amares aquele que te matava, deixava-te sem qualquer opção. Como poderias fugir ou lutar, se ao fazê-lo magoarias o teu amor? Se a tua vida era tudo o que tinhas para dar, como recusa-la a alguém que amavas verdadeiramente? 
Para Bella Swan, o amor irrevogável por um vampiro enreda-se de um modo fantástico e terrível, com a realidade perigosamente opressiva. Impelida num sentido, pela paixão imensa por Edward Cullen, e no outro pela ligação profunda ao lobisomen Jacob Black, Bella enfrentou um ano tumultuoso de tentações, perdas e conflitos que agora a irá colocar perante um momento final e decisivo. A escolha eminente entre ingressar num mundo tenebroso, mas sedutor dos imortais, ou prosseguir uma existência inteiramente humana é o fio do qual se suspendem os destinos dos dois clãs. 
Agora que Bella já tomou uma decisão, uma cadeia perturbaste de acontecimentos sem precedentes está prestes a desenrolar-se antevendo efeitos potencialmente devastadores e incomensuráveis. Quantos fragmentos corridos da sua vida, inicialmente desvendada em Crepúsculo e depois estilhaçada e dilacerada em Lua Nova e Eclipse parecem prestes a sarar e a unir-se num todo, poderão ser destruídos...para sempre

Opinião: Stephenie Meyer desenvolveu uma história de amor que é amada por muitos e conhecida por outros, no entanto, independentemente da qualidade do material ou mesmo do realismo embutido à história, um dos seus pontos fortes é, sem dúvida, a descrição das emoções que vão desde a euforia ao puro horror e aqui, Amanhecer surge como o livro perfeito para a autora mostrar essas qualidades uma vez que, ao contrário dos volumes anteriores onde o amor de Bella por Edward, de Jacob por Bella e vice-versa, dominava as páginas, neste último volume, Stephanie Meyer levou a história para outro patamar - um nível acima daquele que qualquer um esperava.
O narrador muda. Isabella Swan não é - definitivamente - a mesma pessoa que era no primeiro livro, seja pelas suas crenças, seja pela sua determinação. O seu pensamento é alterado com uma volta de cento e oitenta graus e, subitamente, somos arrastados para uma situação que não esperávamos e o nosso próprio choque evidencia-se no rosto dos personagens que não conseguimos ouvir. No entanto, é uma mudança que é bem-vinda pois, pela primeira vez, o amor que ela sente por Edward deixa de ser o foco principal do livro. O motivo do seu risco de vida vem de dentro dela e alteração do foco é uma lufada de ar fresco.
Amanhecer é narrado a partir de duas perspectivas - Bella, Jacob e novamente por Bella. Mais uma vez, uma mudança inteligente para demonstrar não só a passagem de tempo, como para nos fazer compreender a personalidade do pequeno lobisomem - transmutante - assim como para aliviar com um pouco de humor - os nome dos capítulos - a atmosfera pesada do ambiente que agora rodeia a protagonista.
Como eu referi na minha opinião de Eclipse, a forma como o terceiro volume acaba não deixa espaço para a imaginação e nada indicava que Reneesme iria surgir como bóia de salvação para um triângulo que parecia que nunca iria deixar de existir. E, apesar da estranheza da questão, de alguma forma, tudo se encaixa e, embora a conclusão algo, insossa, especialmente quando comparado com a adaptação cinematográfica, não fui capaz de não me deixar contagiar pela alegria que parecia emanar de cada um dos intervenientes, especialmente quando eles nos fizeram companhia durante os últimos meses.
Para qualquer pessoa que ainda não pegou nos livros por despeito ou por influência da opinião de outros ou mesmo das adaptações, aconselho vivamente a colocar as divergências de lado e pelo menos tentar deixar-se levar pela história da humana que se apaixonou pelo vampiro porque Amanhecer, apesar do seu tamanho um pouco intimidatório para alguns, vale a pena. Seja pela beleza de um casamento. Ou pela novidade de uma criança. Ou pela possibilidade da morte a cada esquina. Tudo, maravilhosamente narrado pela escrita de Stephanie Meyer. Finalmente, a rainha conquista.
Outros títulos da colecção
*Crepúsculo - adaptação cinematográfica: aqui
*Lua Nova - adaptação cinematográfica: aqui
*Eclipse- adaptação cinematográfica: aqui
*Amanhecer - adaptação cinematográfica: aqui e aqui

*A Breve Segunda Vida de Bree Tanner

*Vida e Morte
*Midnight Sun

Outros títulos da autora

*Nómada
*Danças Malditas
*A Química
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan