Blogs Portugal

Siga por Email

Sinopse: Mudar de escola no último ano e ser a miúda nova do liceu nunca é fácil para ninguém. Amanda Hardy não é excepção: se quiser fazer amigos e sentir-se aceite, terá de baixar as defesas e deixar que os outros se aproximem. Mas como, quando guarda um segredo tão grande? Quando tenta, a todo o custo, esconder o seu passado e começar uma vida nova?
Para piorar as coisas, apaixona-se perdidamente pelo rapaz mais popular do liceu e tudo o que mais quer é contar-lhe a verdade... Será que ele é tão especial quanto parece? Poderá confiar nele

Opinião: Se Eu Fosse Tua ou If I Was Your Girl, na versão original, de Meredith Russo é uma história comovente e, sobretudo, importante. O livro relata a história de Amanda Hardy, uma rapariga tímida, inteligente, bondosa mas marcada por acontecimentos passados, cujo nome de batismo é Andrew Hardy e que se vê forçada a deixar a sua casa para conseguir sobreviver. 
Desde a primeira página que sabia do que Se Eu Fosse Tua se tratava. Não houve qualquer dúvida para mim de que queria lê-lo pois queria saber mais sobre um tema onde o meu conhecimento é quase nulo e, posso dizer que a autora fez um belíssimo trabalho ao intercalar a vida actual da Amanda com a sua vida passada e as suas experiências porque, para ser completamente honesta, era onde o meu foco de interesse residia. 
Se Eu Fosse Tua contém uma grande carga de emoções. Há uma sensação de impotência, de raiva e de ternura num curto espaço de tempo. Tudo isto, acontece à medida que vamos conhecendo mais e mais da história de Amanda e, consequentemente, mais e mais do que significa a palavra "transexual". Para mim, ver a protagonista a adaptar-se ao mundo à sua volta como uma adolescente "normal", vê-la a fazer amigos e a evoluir enquanto pessoa foi uma das partes mais maravilhosas do livro. Tudo acontece ao mesmo tempo que a autora nos presenteia com flashbacks de um passado doloroso e cruel, dando-nos um ponto de partida. 
No entanto, no passado, nos flashbacks não fui grande apreciadora da forma como a autora decidiu lidar com a tentativa de suicídio de Amanda, principalmente da forma como foi descrito. Penso que, possuindo toda a narrativa uma emoção muito própria, a decisão de tomar fim à vida deveria possuir mais do que uma página com palavras em itálico - compreendo a intenção, nua e crua mas, preferia ter mergulhado na escuridão com Amanda ao invés de ficar apenas à superfície. Para além disso, as primeiras páginas para além daquelas que rodeiam o facto de Amanda ter nascido rapaz, foram difíceis de manter o foco. Amanda conhece imediatamente o rapaz que vai ser objecto do seu afecto e, a partir daí, o romance desenvolve-se demasiado rápido e, principalmente, demasiado previsível e, a meu ver, não credível. 
Se Eu Fosse Tua é uma leitura rápida, as linhas são espaçadas, há muitos diálogos e a escrita acaba por ser muito simples mas com uma mensagem de extrema importância. Sou da opinião de que a autora conseguiu traduzir na perfeição o que é ser uma rapariga presa num corpo de rapaz, mas faltou-lhe espaço para - e aqui realço - a construção das relações porque, uma vez estabelecidas, eram bonitas e perfeitamente reais. Infelizmente, o fim algo abrupto deixou-me a desejar por mais, a desejar ver como tudo o que acontece nas últimas páginas, se ia resolver. Queria mais, muito mais daquilo que me foi dado.

#carregar na imagem para ler opinião completa     


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO