Blogs Portugal

Siga por Email


Opinião: Depois da opinião de Lua Nova, fiquei a fermentar nas palavras adequadas para traduzir o meu gosto por esta série. Sou a primeira a admitir que não sabia que ao rever a vida de Bella e dos seus respectivos intervenientes fosse arrastada para uma nuvem de nostalgia onde tudo parecia recompor-se com a simples ideia de um amor tão forte - quase obsessivo. Mas, a verdade é que isso aconteceu e estou a tentar estender esse sentimento ao máximo porque, no meio de tantos lançamentos e novidades, a nostalgia e a antiga alegria perde-se. Ou renova-se, depende do ponto de vista.
Eclipse é diferente. Há uma dinâmica diferente. Há uma sensação de que o fim - será? - se aproxima e de que algo maior e grandioso está para acontecer. É também o primeiro filme onde o triângulo amoroso está enraizado na nossa pele e claro que essa ideia se deve à maravilhosa interpretação dos protagonistas, no entanto, admito que a adaptação perde um pouco do humor que é, efectivamente, uma característica de Bella. Não temos acesso à sua cabeça como acontece no livro, além de que - corrijam-me se estou errada, - sinto que, em qualquer um dos filmes, inclusive, dos dois anteriores, sinto que se perde alguma coisa por exemplo, não sinto uma afinidade tão grande por Ashley Greene como Alice Cullen. Porém, qualquer um dos filmes não deixa de ser uma extensão fantástica do trabalho de Stephanie Meyer.
Pela primeira vez entramos em contacto com o passado da família de Edward, com os pensamentos mais profundos de Rosalie, com o passado do próprio Jasper e não fui capaz de deixar de desejar que personagens como Emmet ou Esme tivessem uma história mais interessante ou, pelo menos, mais explorada. Claro que ajudou os efeitos especiais, as montagens de um passado sangrento ou vingativo; imagens de uma morte violenta que nunca deveria ter acontecido logo nos primeiros minutos de filme. Para mim, uma boa adaptação acontece quando há uma extensão do mundo, o que, definitivamente foi algo que aconteceu. Os efeitos especiais, os lobos, as lutas, foram pequenos bónus no grande leque que foi as quase duas horas e meia de filme. O coração da história está lá. É o mais importante.





Outros títulos da colecção
*Crepúsculo - adaptação cinematográfica: aqui
*Lua Nova - adaptação cinematográfica: aqui
*Eclipse- adaptação cinematográfica: aqui
*Amanhecer - adaptação cinematográfica: aqui e aqui

*A Breve Segunda Vida de Bree Tanner

*Vida e Morte
*Midnight Sun

Outros títulos da autora

*Nómada
*Danças Malditas
*A Química



Por Raquel Pereira

Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO