Sinopse: Noemi é fã de cinema e séries de acção e aventura. Mas nunca imaginou que ela própria faria o papel de uma dessas personagens que de um momento para o outro vêem a sua vida normal dar uma volta de 180 graus. De uma forma pouco ortodoxa descobre que é um Anjo, uma Guerreira ancestral renascida e que, numa dimensão paralela à da Terra, existe um mundo mágico regido por uma Deusa: Orbias. 
Mas Noemi não terá apenas de lidar com os seus novos poderes e responsabilidades. Terá também de se confrontar com perigos e emoções aos quais não estava habituada, especialmente um sentimento em relação a Sebastian, um orbiano sedutor... Conseguirá ela superar a sua fragilidade e conflitos interiores para salvar os dois mundos da destruição

OpiniãoHá um momento durante a leitura em que percebemos que ultrapassámos um qualquer muro invisível; um muro que separa a certeza da qualidade de um livro para a incerteza quanto àquilo que temos efectivamente à nossa frente. Em Orbias - As Guerreiras da Deusa é-nos apresentado um mundo fantástico repleto de possibilidades; há uma boa ideia; há uma potencialidade para excelência que o autor, na minha opinião, desperdiça.
Infelizmente, não gostei. Neste primeiro volume, somos apresentados a um leque de personagens infantis e que, apesar da ideia primordial ser fantástica, não chega para disfarçar os discursos apatetados - "Para proteger os inocentes e indefesos de criminoso como tu, chega o Anjo da Luz Resplandecente". A verdade é que até poderia ser aceitável caso se tratasse de um livro direcionado para um público infantil mas trata-se de palavras proferidas pela boca de uma protagonista universitária que se assemelham a um discurso saído directamente de um episódio das "Navegantes da Lua" cujas comparações são impossíveis de passar despercebidas - seja pelos discursos, seja pelas mudanças de roupa aquando a transformação, seja pelos braços que são usados para o transporte entre os dois mundos.
Para além disso, a própria escrita é muito infantil e muito pouco dada ao leitor. Pareceu-me mais um registo das emoções que cada uma das personagens devia sentir. Foi muito impessoal, por mais aprofundada que fosse a emoção ou o sentimento e, mesmo a própria caracterização das seis guerreiras e restantes companheiros foi fraca. O excesso de palavras como "lolita", de expressões de pudor da protagonista quase repetidas face às acções de duas outras personagens, cansou. Do mesmo modo, o romance instantâneo foi forçado. Para mim, a não ser que se trate de um livro juvenil que retrata uma paixoneta e não um "amor grandioso" não pode ter no mesmo parágrafo "Estava raivosa com Sebastian, já não o suportava, mesmo só o conhecendo há horas! (...) Estava irritada porque ele tinha feito com que estivesse completamente e perdidamente...apaixonada por ele!". Não. Não quando se trata de uma jovem adulta.
Orbias - As Guerreiras da Deusa acentua algo que começo a ver como obrigatório nos livros de fantasia escritos por autores portugueses: por muito infantil que o diálogo possa ser, por muito irreal que as personagens possam parecer, há sempre, sempre, uma cena de sexo para mostrar que afinal é um livro adulto, com personagens maduras e com uma vida sexual activa. O final, confuso, pouco serviu para aumentar o meu gosto. Talvez funcionasse se a história não fosse contada na primeira pessoa, assim pouco mais serviu do que para aumentar a sensação de que me escapou algo de essencial. Senti-me acéfala.
Atenção, não critico o autor mas sim Orbias - As Guerreiras da Deusa. Tive oportunidade de ler um conto do autor para uma antologia publicada pela Editorial Divergência e foi, sem sombra de dúvidas, um dos meus favoritos. A qualidade deste material em especifico é que não despertou nenhuma atenção. Talvez pela minha idade, por não ser facilmente levada por amores instantâneos, ou amizades rápidas, a verdade é que não consegui identificar-me com a escrita do autor. Era demasiado simples e infantil e, por uma vez ofensiva. Não consigo concordar com "a depressão" como uma "doença da moda" ("Porém, o mais grave era a depressão, a doença da moda, nomeadamente nos jovens"). Tenho o segundo volume e faço intenção de o ler na esperança de alguma espécie de melhoria.
Outros títulos da colecção
*Orbias - As Guerreiras da Deusa 
*Orbias - O Demónio Branco


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO