Sinopse: Quando Vee participa no Nerve, um jogo online de desafios transmitidos em directo, descobre que quem controla a competição parece saber tudo acerca dela. Oferecem-lhe os prémios que mais deseja e escolhem para a sua equipa Ian, um rapaz com quem qualquer rapariga do secundário sonharia. Nestas condições, é quase impossível resistir. Ver aceita a primeira consequência. E depois outra. E outra. Se ao princípio o jogo parece emocionante (os fãs aplaudem e incitam-nos a ultrapassar desafios arriscados com apostas cada vez mais altas), aos poucos revela-se uma armadilha. Vee e Ian têm de decidir se arriscam a vida para o Grande Prémio ou se deitam tudo a perder. Será o jogo letal? 

OpiniãoVerdade ou Consequência?
Verdade.
Ora bem, a verdade é que há uma necessidade nesta nossa sociedade literária de comparar cada livro a um já publicado e com um enorme sucesso de forma a cativar leitores a deitarem-lhe a mão. Neste caso em específico, não sabia da existência do livro até ao lançamento do official trailer da respectiva adaptação cinematográfica. Nerve é comparado a Jogos da Fome de Suzanne Collins e, até certos e determinados aspectos, - jogo? - concordo, mas noutros, estão tremendamente afastados da história de Katniss Everdeen e a comparação morre por aí. É perceptível a crítica social, sim, mas não há realmente uma verdadeira luta. Não saí da história com uma sensação de mudança, que tantas vezes acontece quando nos deixamos afundar num livro.
A verdadeira história de Nerve passasse numa única noite, com repercussões para, possivelmente o resto da vida e é um retrato extremo do poder das redes sociais, dos jogos online - da internet em si. Não me admirava nem um pouco se dentro de alguns anos, algo como o Nerve viesse a ser implementado. Jeanne Ryan criou uma "aplicação" possível de acontecer num futuro não muito distante e o perigo envolvido, não será problema, afinal "os que querem ganhar, jogam sempre".
Vee, cujo verdadeiro nome vou deixar incógnito, não é uma protagonista do calibre de Katniss Everdeen, mas tem os seus momentos de glória, aqui e ali no entanto, admito que não fiquei muito impressionada. A sua personalidade é, desde o início, formada à volta de outras pessoas e mesmo os seus melhores momentos são resultado de uma provocação.
Nerve deixa, no entanto, pequenas pontas soltas, pormenores a que queria uma resposta. Nunca chegamos realmente a conhecer Ian, ou as caras por detrás do programa, ou mesmo o que raio aconteceu a um determinado leque de personagens e, apesar da leitura fácil e da escrita acessível, não há um fim em concreto, nem pouco mais ou menos. Há simplesmente um e depois "isto, isto e isto", não somos contemplados com mais nada a não ser com um último parágrafo de fazer arrepios. Uma última lembrança, pelo menos, inesquecível.
Verdade ou Consequência?
O que escolhias?
Outros títulos da autora: 
*Nerve
*Charisma 


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO