Sinopse: There is darkness sweeping across the stars. Most know Androma Racella as the Bloody Baroness: a powerful mercenary whose reign of terror stretches across de Miracle Galaxy. To those aboard her fearsome glass starship, she's just Andi, their captain and protector. 
When a routine mission goes awry, the all-girl crew's resilience is tested as they find themselves in a most unfamiliar place: at the mercy of a sadistic bounty hunter connected to Andi's past and harrowing betrayal. 
Meanwhile, on the far side of the galaxy, a ruthless ruler waits in the shadows of the planet Xen Ptera, biding her time to exact revenge for the destruction of her people. The final pieces of her deadly plan are about to fall into place, unleashing a plot that will tear Miracle in two. 
Ando and her crew embark on a dangerous, soul-testing journey that could restore order to there ship - or just easily star a war that will devour worlds. As the Marauder hurtles towards the unknown, and Miracle hangs in the balance, the only thing certain is that in a galaxy run on lies and illusion, no one can be trusted. 

Book Trailer:

Opinião: Zenith - The Androma Saga - Part 1 co-escrito pela conhecida booktuber Sasha Alsberg (abookutopia) e pela autora, já publicada, Lindsay Cummings. Por norma, não aprecio livros co-escritos. Uma das não tão agradáveis experiências foi, por exemplo, As Crónicas de Bane porque, uma vez familiarizada com a escrita de uma autora, vemos, com facilidade, as diferenças na fluidez de uma história quando há a mão de outra pessoa envolvida mas, a verdade é que em Zenith, à semelhança de Quando as Estrelas Caem, não consegui aperceber-me dessa diferença e, uma questão que me atormenta é: como é que um livro é co-escrito; quanto de uma pessoa está nesse livro; quanto da outra?
Para aqueles que, como eu, seguem, até certo ponto os vídeos do canal abookutopia, foi uma surpresa quando foi anunciado o lançamento de Zenith, uma vez que Sasha já estava a trabalhar noutra história, uma rapariga com superpores depois da queda de um meteorito, se não me engano; algo que ela, de quando em vez, dava uns updates, aqui e ali, relatando as dificuldades da escrita; portanto, é normal para, pessoas como eu, questionarem quanto dela está no livro; quanto dela é que não será marketing pela quantidade de seguidores; quanto dela é que não terá sido um golpe publicitário; e quanto destas suposições não serão injustas?
Questões essas à parte, a verdade é que Zenith - Part 1 não é fantástico. Para começar, não é um livro completo. Será dividido em partes, quatro, que serão publicadas ao longo do ano. Isto é um problema para mim. Porquê? Porque paguei 1,99$ por um segmento de um livro, que não permite, de forma alguma, o desenvolvimento de uma história e de uma personagem e que serve apenas e somente para ajudar financeiramente. Por favor, corrijam-se se estiver enganada, uma vez que não quero supôr erroneamente.
Zenith é, à falta de melhor palavra, uma leitura fácil. A escrita é fluída, simples, mas cliché. Os diálogos, as frases proferidas pelos personagens, já foram repetidas milhares de vezes tanto em livros como em filmes. "It’ll be just like old times, love.” "What’s wrong, Dex? You don’t want to come out and play with me?”. O curso da história foi, até certo previsível e, devido à pouco extensão que nos é dada (140 páginas no iBooks) a construção do universo é, muitas vezes, limitadas a uma frase onde o nome de três planetas é mencionado e um sistema solar.
Foi uma leitura rápida, como já mencionei, mas com falta de emoção e empatia para com a protagonista. Androma ou Andi é, o que seria definido como uma fraca e de qualidade inferior Cealena Sardothien no espaço. Andi é descrita múltiplas vezes como a Bloody Baroness mas, o que ela fez para merecer tal título, afastou-me ainda mais da protagonista. Ao contrário da rapariga criada por Sarah J. Maas, Andi apesar de ter obviamente qualidades redentoras, não me pareceu digna desse título e, sinceramente, como capitã da Marauder foi uma pobre figura.
A verdade é que Zenith peca pelo seu tamanho, pela sua previsibilidade, pela falta de desenvolvimento e, acima de tudo, pelas demasiadas parecenças com outros do seu género. A escrita, por sua vez, era simpática e soou bem, principalmente nas descrições, mas os diálogos foram algo que me fez revirar os olhos vezes sem conta. Não há muito mais para dizer, simplesmente pelo facto de não ter havido mais páginas, mais crescimento, mais algo - o que me deixa imensamente frustrada.
Outros títulos da colecção
*Zenith - The Androma Saga - Part 1 
*Zenith - The Androma Saga Part 2
*Zenith - The Androma Saga Part 3
*Zenith - The Androma Saga Part 4

Outros livros da autora
*O Complexo dos Assassinos
*O Código da Morte
*The Fear Trials 


2 Comentários

  1. Ok... nah, não é para mim.. cliché a mais. Ainda bem que escreveste a review pq andava com o livro debaixo de olho. Tiraste-me um peso de cima :D

    Oh pah escreves tão bem.. que delícia de texto, quando cada vez mais se encontram coisas escritas à pressa por esta internet fora.

    * Blog mary red hair *

    *Canal mary red hair*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois :/ é como eu digo, tinha potencial se fosse mais explorado e menos parecido com outros do mesmo género!
      Owen, obrigada :)

      Excluir

Tens uma opinião? 3,2,1 GO