Sinopse: Elias pertence aos Ilustres, as famílias de elite do Império. Desde os seis anos que treina na Academia Militar de Blackcliff para se tornar um dos soldados mais implacáveis aos serviço dos Marciais. 
Laia pertence aos Eruditos, um povo oprimido pelo jugo firme dos Marciais. Quando o seu irmão é preso e acusado de traição, Laia procura a ajuda da Resistência. Em troca, tem de levar a cabo uma missão quase impossível: infiltrar-se como escrava em Blackcliff. 
Quando se conhecem, Elias e Laia percebem que as suas vidas estão interligadas - e que as escolhas de ambos podem mudar para sempre o destino do Império. 
Este mundo ricamente detalhado, com traços da Roma Antiga, é o palco de uma aventura empolgantes que tem cativado milhares de leitores. Conseguirão Elias e Laia fugir à sua própria sorte?

Book Trailer


OpiniãoAinda demorei algum tempo a habituar-me ao mundo criado por Sabaa Tahir, ou talvez fosse apenas a minha disposição, a minha reticência a entrar num mundo novo mas, assim que me vi imersa nas páginas de Uma Chama Entre as Cinzas, não consegui literalmente parar de ler. Um dia foi o suficiente para ficar a par da história de Laia e Elias.
Uma Chama Entre as Cinzas foi inicialmente vendido como um stand-alone. Não vejo como. Há dezenas de perguntas sem resposta, pequenos nós por libertar, além de que o propósito principal do livro, libertar Darian, não foi cumprido. Como não poderia haver uma continuação?
Uma Chama Entre as Cinzas oscila entre dois pontos de vista muito marcados de duas personagens completamente diferentes, com histórias de vida dissimilares mas, a algum nível, semelhantes. Sabaa Tahir criou uma história difícil de resumir. Um livro complexo, um mundo repleto de uma mitologia que não conhecia, ou de que posso sabia, e posso dizer que isso me fascinou desde o momento em que me deixei embrenhar na história e, o facto de os capítulos acabarem sempre num momento crucial ajudou à leitura desenfreada. São dois pontos de vista que se interligam na perfeição, criando uma proximidade com o leitor, uma realidade virtual que consegui sentir na íntegra.
Confesso que não é o meu mundo preferido. A brutalidade e a violência em cada capítulo deixaram pouco espaço para os sorrisos mas, quando aconteceram, por exemplo durante o Festival da Lua, foram mais sentidos. Um momento de alívio numa leitura emocionalmente tortuosa pela quantidade de dor com que os protagonistas se confrontavam, capítulo após capítulo, fosse no seu processo de espia ou no processo de aspirante a imperador.
Uma das falhas, chamemos-lhe assim, de Uma Chama Entre as Cinzas é, sem dúvida, a previsibilidade. Embora haja uma quantidade imensa de perguntas por responder, ou de coisas que adoraria saber - como o passado da Comandante ou da Cozinheira, - os pedaços centrais da história, o que rodeia Elias e Laia, acaba por ser previsível e, enfureci-me com a protagonista por ser parva àquele ponto, fosse por ter lido dezenas de livros no mesmo estilo, fosse pelas pistas deixadas, adivinhei o final apenas pelo excesso de confiança mostrado por Laia e preferia ter sido surpreendida porque, nos momentos em que o fui, o espanto saiu-me sobre a forma de um arquejo.
A autora criou igualmente um núcleo de personagens do qual me vou lembrar e o romance que existe no livro não é ténue, mas sim explorado até há última gota e mesmo depois disso Sabaa Tahir deixa-nos ligeiramente frustrados com a falta de comunicação das emoções e, embora haja uma óbvia intenção de um triângulo/quadrado amoroso, penso que não há espaço para dúvidas, a não ser que haja uma volta de 180º no próximo volume. Mas, quem sabe?
Uma Chama Entre as Cinzas surpreendeu-me pela positiva, não só pelo mundo, mas pelas personagens e pelas relações complexas que estas criaram entre si, o que foi uma das minhas partes preferidas do livro. A ideia de que mesmo no pior dos sofrimentos, a humanidade que existe em nós, vem ao de cima, que mesmo na pior das dores, podemos pensar nos outros, foi o que me motivou. O livro trás também uma chama do deserto, e vinha-me sempre à ideia o deserto de Agrabá e, as descrições eram facilmente interpretadas e construídas na imaginação. Um livro sensorial, por assim dizer. Aconselho vivamente.
Outros títulos da colecção: 
*Uma Chama entre Cinzas 
*A Torch Agains the Night  (30/08/2016)


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO