Blogs Portugal

Siga por Email

Sinopse: Neste livro de contos, são narradas diversas aventuras do feiticeiro imortal Magnus Bane, das séries best-seller de Cassandra Clare. Para Magnus Bane seria impossível contar todas as suas aventuras. Ninguém acreditaria... Onze histórias que revelam alguns dos seus segredos que de certeza não gostaria que fossem divulgados. Entre o misterioso Peru e resgates na Revolução Francesa, os fãs terão oportunidade de saber pormenores da vida do enigmático feiticeiro. 
Passado em diversos países e períodos históricos, Magnus Bane com a sua personalidade sedutora, estilo exuberante e inteligência resolve problemas e interage com Clary, Tessa, Will e Alec, de Caçadores de Sombras e As Origens. 


OpiniãoPara qualquer fã de Os Instrumentos Mortais ou As Origens, As Crónicas de Bane são uma óptima adição à colecção - não é essencial, é verdade, mas é uma oportunidade de saber mais pormenores sobre não só Magnus Bane, mas outros personagens, alguns dos quais iremos ver daqui a uns meses/anos sendo, um dos exemplos, James Herondale, um dos protagonistas de The Last Hours. Para além disso, revemos algumas caras conhecidas e, confesso, que foi isso, mais do que qualquer outra coisa que me atraiu para as As Crónicas de Bane.
No entanto, começou de forma estranha, o que desencorajou, até certo modo, o resto da leitura. Os primeiros dois contos "O que realmente aconteceu no Peru" e "A Rainha Fugitiva" pareceram escritos de uma forma quase infantil, com demasiadas referências à roupa Magnus, a aventuras que, para ser sincera, não eram minimamente interessantes e, embora relatassem factos históricos, pouco ou nada me cativou, embora seja agradável percebermos a relação entre Ragnor Fell e Catarina Loss que são uma presença constante em As Crónicas de Bane.
O terceiro conto "Vampiros, Scones e Edmund Herondale" foi muito mais interessante, embora ainda continuasse longe daquilo que adoro na escrita de Cassandra Clare. Neste conto em particular, estamos em Londres, e a partir daqui Magnus oscila entre Londres e Nova Iorque que servem de contexto para As Origens e Os Instrumentos Mortais, respectivamente, e vemos todo um conjunto de caras conhecidas, desde Camille, De Quincey, Granville Fairchild, Starkweather, a própria Charlotte Fairchild em criança e por aí fora e, vemos igualmente acontecimentos que nos foram relatados nas duas séries da autora, entre as quais, os Acordos que não me pareceram, de todo, natural. Não fui fã. O que gostei foi de Edmund Herondale e da ironia da sua situação no inicio do conto e a conclusão trágica no fim do mesmo, com um monte de coisas boas pelo meio, nomeadamente, a forma como conheceu Lynette, que viria a ser mãe de um conjunto de personagens que me são queridas e, para minha completa surpresa, percebemos o porquê da Pyxis existir.
"O Herdeiro da Meia-Noite" é o quarto conto e é um dos dois contos que sobressaem e que, se separados daria cinco estrelas, sem pensar. É uma apresentação perfeita aos personagens e à futura antagonista do The Last Hours. Nele, conhecemos James Herondale que, não é um Caçador de Sombras normal, de todo possuindo particularidades que não são próprias dos humanos. Mas, para além do aparecimento das personagens de As Origens, como Will, Tessa e Jem, vemos Tatiana Blackthorn e a forma como a sua mente está retorcida. Contudo, o que realmente adorei, neste conto, foram as descrições de Magnus de cada um dos personagens e as suas recordações. Tudo estava no ponto.
Os próximos contos, não foram interessantes como o último, mas foram mais suportáveis que os dois primeiros e dão algumas informações que faltaram em Os Instrumentos Mortais. Esses contos são "A ascensão do Hotel Dumont", "Salvar Rafael Santiago" e "A queda do Hotel Dumont" e, posso dizer que, dos três, "Salvar Rafael Santiago" foi provavelmente o que se destacou por percebermos, finalmente, a relação entre Rafael e Magnus e a forma como se aceitam mutuamente e que dá algum contexto à forma como culmina em A Cidade do Fogo Celestial.
"O que oferecer ao Caçador de Sombras que tem tudo (e que de todos os modos não é o nosso namorado oficial)" é o próximo conto e esse, tal como o último conto do livro "O curso do verdadeiro amor (e primeiros encontros)", não é dos meus preferidos, mas tem o seu encanto e a sua importância porque, pela primeira vez, adorei Alec. Não gostar ou suportar, mas realmente adorar uma personagem que tanto me fazia se morresse ou vivesse por exemplo, em A Cidade dos Ossos. Alec redimiu-se, vemos o seu lado mais vulnerável, mais não-Caçador de Sombras ou não-irmão irritante e é óptimo.
"A última batalha do Instituto de Nova Iorque" é o meu segundo conto favorito ao qual daria cinco estrelas, sem pensar. Nele, vemos o Círculo em plena acção, quando ainda eram jovens e apoiados pela Clave e, ao mesmo tempo, vemos, de longe, a queda do Círculo, e há tanta coisa nas entrelinhas, tantos diálogos fantásticos que dei por mim a comover-me. Podemos dividir o conto em duas partes, na primeira, o Círculo e está plenamente activo e saudável e, na segunda parte, vemos Jocelyn, a pedir ajuda a Magnus que está, nesse momento a partilhar casa com Tessa. O poder das palavras de Tessa, a forma como se dirige a Jocelyn, como mencionou Stephen Herondale, são algo a ter em conta e que adorei de forma completa e absoluta. Tal como o facto de Tessa ter uma camisola a dizer "WILL QUER UMA BONECA".
Por fim, e embora não seja um conto, temos acesso ao "Voicemail de Magnus Bane" depois dos acontecimentos em A Cidade das Almas Perdidas e, o que eu não me ri com Isabelle Ligthwood.
As Crónicas de Bane não é um livro exceptional, mas aumenta o mundo dos Caçadores de Sombras e dá-nos contexto para alguns dos locais e algumas das personagens que visitamos ou conhecemos em As Origens e Os Instrumentos Mortais, assim como dos futuros livros das Crónicas dos Caçadores de Sombras, pelo que penso que qualquer fã se sentiria satisfeito e, talvez, comovido com alguns dos contos mas, é apenas a minha opinião.
Outros títulos das Crónicas dos Caçadores de Sombra por Cassandra Clare
*A Cidade dos Ossos - adaptação cinematográfica: aquiadaptação televisiva aqui


*Lord of Shadowns (sem data de publicação)
*Queen of Air and Darkness (sem data de publicação)

*Chain of Thorns (sem data de publicação)
*Chain of Gold (sem data de publicação)
*Chain of Iron (sem data de publicação)

*The Wicked Power #1 (sem data de publicação)
*The Wicked Power #2 (sem data de publicação)
*The Wicked Power #3 (sem data de publicação)

*Tales from the ShadowHunter Academy (publicado em short-stories - por enquanto)
*The Shadowhunter Códex

Outros livros da autora
*A Manopla de Cobre
*Magisterium #3
*Magisterium #4
*Magisterium #5


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO