Blogs Portugal

Siga por Email

Sinopse: Para salvar a vida da mãe, Clary tem de ir à Cidade de Vidro, o lar ancestral dos Caçadores de Sombra - não a incomoda que a entrada nesta cidade sem sem autorização seja contra a Lei e que violá-la possa significar a morte. Piorando ainda mais a situação, ela vem a saber que Jace não a quer lá e que Simon foi encarcerado na prisão pelos Caçadores de Sombras que suspeitam de um vampiro que tolera a luz do Sol. Ao tentar descobrir mais pormenores sobre o passado da sua família, Clary encontra um aliado no misterioso Sebastian. Com Valentine a reunir toda a força do seu poder para destruir de uma vez por todas os Caçadores de Sombras, a única possibilidade de estes o derrotarem é combater ao lado dos seus eternos inimigos. Mas podem os Habitantes do Mundo-à-Parte e os Caçadores de Sombras pôr de lado o seu ódio mútuo e aliarem-se? Embora Jace compreenda que está pronto a arriscar tudo por Clary, poderá ela utilizar os seus poderes recentes para ajudar a socorrer a Cidade de Vidro - custe o que custar? O amor é um pecado mortal e os segredos do passado provam ser letais quando Clary e Jace enfrentam Valentine no último volume da trilogia Os Intrumentos Mortais. 

Book Trailer: 

OpiniãoEm A Cidade de Vidro, é-nos dada, pela primeira vez, a imagem do país natal dos Caçadores de Sombra, Ídris, e da sua única cidade, Alicante. Uma imagem para lá de um pedaço de espelho, com uma descrição real. Não é exactamente um mundo fantástico, mas é um local misterioso e recheado de histórias e que podemos imaginar com facilidade, desde o Lago Lyn até à Praça do Anjo ao Pavilhão dos Acordos. A forma como a autora transforma Alicante às necessidades dos Caçadores de Sombra, recheando-a de mitos e de maldições é altamente apelava.
A Cidade de Vidro é um livro dinâmico, com vários pontos de vista, sendo o de Isabelle um dos meus favoritos, com o aparecimento de novos personagens onde, em cada capítulo há um acontecimento importante ou uma descoberta fundamental que é essencial para o desfecho. É a conclusão da primeira parte da série de Os Instrumentos Mortais e há uma clara ligação com os dois livros anteriores, A Cidade dos Ossos e A Cidade das Cinzas, cujas opiniões podem ver aqui e aqui, respectivamente mas, ao contrário destes, tem o seu quê de revoltante. Há sempre o momento numa trilogia ou numa série em que as coisas começam a acontecer e, por coisas, refiro-me a mortes. Com J.K.Rowling foi Harry Potter e o Cálice de Fogo, com Cassandra Clare foi A Cidade de Vidro. É, dos três, o mais pesado, quanto mais não seja, pela própria negritude que paira nas emoções dos protagonistas.
Para além da mudança de cenário de prédios e arranha-céus para montes verdejantes, há outras mudanças, não-tão-evidentes, no que toca ao curso da história e ao rumo que ela vai tomar e, parte dessa mudança surge com a personagem de Sebastian Verlac. Para mim, Valentine Morgenstern foi sempre o claro antagonista de Os Intrumentos Mortais e, diga-se de passagem, um óptimo antagonista, pois tal como Jace ou Clary ou até mesmo Luke, Jocelyn, Maryse, Robert entre um punhado de outros, compreendemos e, até concordamos, com os ideais de Valentine: a ideia de mudar um governo corrupto, no entanto, como Luke referiu em A Cidade dos Ossos, após a morte do pai de Valentine por um Habitante do Mundo-à-Parte, Valentine seguiu um rumo mais obscuro, o que é, para nos leitores, algo que somos capazes de compreender, racionalmente falando, uma vez que, infelizmente, vemos isso nos noticiários todos os dias - pessoas que mudam os seus ideais contra uma raça ou uma população pela perda dos seus entes queridos.
Agora, Sebastian Verlac, não é complexo. A sua maldade, os seus actos, os seus ideais, são justificados pelo sangue. Não há sequer a hipótese de redenção. Ao contrário de Valentine, não é sequer capaz de amar e Valentine amou, à sua estranha e retorcida maneira, mas amou. E, ao contrário de outros vilões, a mente de Sebastian não é retorcida ao ponto de fazer as coisas que faz só pelo prazer de as ver arder. Mais uma vez, cada uma das suas acções é justificada pelo sangue que lhe corre nas veias o que, ao fim e ao cabo, não o torna numa personagem brilhante ou minimamente atraente.
O que acho que, de igual modo, falhou em A Cidade de Vidro foi a relação leitor-protagonista. Esta degradação da qualidade é recuperada mais tarde mas, no início, o comportamento infantil afectaram a minha percepção de Clary. Curiosamente, aconteceu o oposto com Jace, Alec, Simon e Isabelle. Em A Cidade Vidro, apaixonei-me por cada um deles a cada parágrafo, emocionei-me com eles, chorei com eles e ri-me com eles, enquanto que, Clary, estava apenas ali, provocando alguma emoção apenas de X capítulos em X capítulos.
Teria adorado ver mais de Alec e Magnus, assim como de Jocelyn e Luke e, talvez, uma interacção da primeira com Valentine, em nome dos bons velhos tempos. Há alguns buracos, como a carta de Jace que, adoraria ler e, na verdade, Cassandra Clare disponibilizou o conteúdo da mesma no seu site oficial, assim como outros conteúdos exclusivos ou que não entraram na edição final do livro e que podem ler aqui. Por outro lado, adoro a forma como a autora manejou os conteúdos religiosos acabando por torná-los, não só visualmente perceptíveis como atraentes. Mas continuou a achar que neste tipo de livros é fundamental haver um equilíbrio e, em A Cidade das Cinzas, senti que ele existiu mas, neste terceiro volume, ficaram demasiadas questões em aberto, demasiadas relações e histórias por contar. Como eu disse, alguns buracos.
Outros títulos das Crónicas dos Caçadores de Sombra por Cassandra Clare
*A Cidade dos Ossos - adaptação cinematográfica: aquiadaptação televisiva aqui


*Lord of Shadowns (sem data de publicação)
*Queen of Air and Darkness (sem data de publicação)

*Chain of Thorns (sem data de publicação)
*Chain of Gold (sem data de publicação)
*Chain of Iron (sem data de publicação)

*The Wicked Power #1 (sem data de publicação)
*The Wicked Power #2 (sem data de publicação)
*The Wicked Power #3 (sem data de publicação)

*Tales from the ShadowHunter Academy (publicado em short-stories - por enquanto)
*The Shadowhunter Códex

Outros livros da autora
*A Manopla de Cobre
*Magisterium #3
*Magisterium #4
*Magisterium #5


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO