Sinopse: Quando Percy Jackson recebe uma ligação urgente e aflita do seu amigo Grover, imediatamente se prepara para a batalha. Sabe que vai precisar de todos os seus poderosos aliados semideuses a seu lado, a sua confiável espada de bronze e...a ajuda da sua mãe. 
Os semideuses correm em seu auxílio e descobrem que Grover fez um importante achado: dois poderosos meio-sangues, Bianca e Nico di Angelo, cujo parentesco é desconhecido. Mas não é só isso que os espera. O titã Cronos criou a sua mais traiçoeira estratégia até agora, e os jovens heróis caíram como presas. 
Mas não são os únicos em perigo. Um antigo monstro - que dizer ser tão poderoso que poderia destruir o Olimpo - ressurgiu e Artemis, a única deusa que parece saber como combatê-lo está desaparecida. Percy e os seus amigos juntam-se aos Caçadores de Artemis e têm apenas uma semana para encontrar a deusa desaparecida e desvendar o mistério sobre este terrível monstro. Pleo caminho eles enfrentarão o seu mais perigoso desafio: a petrificante profecia da maldição do titã. 

Opinião
Eu adorei Mar de Monstros, mas a Maldição do Titã tem uma qualidade superior. É a típica evolução dos livros para crianças - começa de forma infantil, mas à medida que os protagonistas crescem, o conflito e as emoções aumentam, o mesmo aconteceu para Harry Potter e o mesmo acontece para Percy Jackson. As hormonas começam a aparecer e as emoções, outrora diluídas numa nuvem de infantilidade, começam a ficar ao rubro e é extremamente divertido ler as passagens onde os pensamentos de Percy se revoltam contra as suas emoções de adolescente (agora com 14 anos). Mas, não há só uma evolução ao nível das emoções/conflito, o mesmo acontece com a própria mitologia e a forma como está intricada com o dia-a-dia dos protagonistas porque, penso que, pela primeira vez, podemos conhecer todos os deuses principais do olimpo e confesso, nem todos são agradáveis à primeira leitura, e outros são uma total surpresa (boa).
Como referi, a mitologia começa a ficar realmente interessante e adorei a forma como Rick Riordan abordou Artémis e as Caçadoras e, sem dúvida, que Zoe é uma das personagens mais interessantes que passou pelos três volumes, não só pela sua personalidade forte, ao nível de uma Isabelle Lightwood mais nova, mas pelo seu passado não tão feliz quanto isso e, apesar de "desconfortável" foi mais ou menos interessante ver a sua reação algo sexista perante a mera existência do sexo masculino. Artémis lembrava-me constantemente uma versão da Sailormoon pelo que adorava a sua presença, mas não conseguia parar de imaginá-la como um desenho animado.
Por outro lado, uma das personagens que pensei que iria ser mais do que interessante, mostrou-se nada mais do que um desapontamento - Tália. Não gostei particularmente das suas tiradas, ou da sua personalidade, mas, por algum motivo, ela acabou por se prender a mim. O meu desgosto inicial provavelmente passou pelo facto da leitura ser tão concentrada em Percy e nas suas emoções e, quando percebi isso, começou a crescer uma lenta, muito lenta, afeição por Tália e às suas peculiaridades, pelo que o final, quando ela se torna uma caçadora foi uma surpresa.
Em Percy Jackson há sempre uma profecia, é inevitável. E começo, sinceramente, a odiar as profecias. Não só porque deixam-me na expectativa, mas porque são macabras sempre rodeadas de morte. Penso que Maldição do Titã foi o primeiro livro onde um que pertence ao núcleo dos protagonistas morre. Não estou a falar somente de Zoe, mas também de Bianca di Angelo. Aliás, fiquei sem saber se Bianca morre ou não porque penso que a profecia dizia que ela iria ficar "presa" ou "perdida" no deserto sem água, ou qualquer coisa do género, pelo que fica a esperança que ela regresse, apesar de não fazer falta. Não gostei do seu aparecimento. Não gostei da sua decisão de, "ah e tal, tomei conta dele a vida toda, pelo que posso abandoná-lo". Foi egoísta, digam o que dizerem. Não me fez amá-la enquanto personagem. Já Nico, é uma história diferente. Calculei que houvesse uma possibilidade de Hades ter filhos, mas com o nome "Angelo", não pensei que fossem eles, pelo que foi uma surpresa boa, além de que a relação com o Casino Lotus do Ladrão de Raios foi INCRÍVEL e adorei e fiquei quase aos saltinhos na cama quando percebi, finalmente, a ligação.
Um dos pontos menos bons do livros é a apresentação de personagens que apareceram no Mar de Monstros mas a que ninguém prestou atenção, ou pelo menos eu, como Blackjack e, por muito que ache piada, preferia que não houvesse uma conversa interna com Percy ou, pelo menos, que eles não parecessem uma cambada de adolescentes com 15 anos de idade, o mesmo para as estátuas gigantes para Zeus junto da barragem.
Os deuses foram uma total surpresa, principalmente Apolo e foi, provavelmente, uma das aparições que menos gostei pela falta de "emoção", gostei apenas dos seus haiku. Para ser sincera ele pareceu-me um personagem sem conteúdo absolutamente nenhum, o que é uma pena, ao contrário da sua irmã, Artémis. Uma das deusas que mais confusa me deixou, sem saber o que pensar por achá-la uma tontinha, é Afrodite. Primeiro, não percebi, de todo, a sua aparição e o porquê de ela ter mandado Blackjack. Fê-lo porque aprecia uma boa trágica história de amor? Eu sei que há a possibilidade de uma relação entre Percy e Annabeth, tanto que quando a viu, Percy achou que Afrodite (deusa do amor) lembrava-lhe Annabeth, mas seria só por isso? E não percebi a relação com o lenço de Afrodite que Percy encontrou no Aqualand. São ligações que acho que podiam ter sido muito melhor exploradas.
Mas a deusa que foi uma total e completa surpresa foi Atena - fria e calculista. E, por muito que quisesse o contrário, nenhum dos deuses pareceu minimamente interessado nos filhos e, por muito que odeie concordar com Luke, os heróis são somente peões. Para além desses (em quantos já vamos?) o Senhor D, ou Dionísio começa, finalmente a transformar-se numa personagem diga de chamar-se "personagem". Um dos seus melhores momentos é quando trata Percy pelo nome e quando ele o reconhece, o Senhor D corrige-o tratando-o por Peter Johnson. Tocou no coração. E Pã, temos finalmente uma pista de Pã!
Por outro lado, os mortais começam a ganhar destaque, não apenas Sally, a mãe de Percy que acho que, nunca apareceu tantas vezes, como de Rachel Elizabeth Dare. A rapariga da barragem deixou-me com a pulga atrás da orelha e, sem dúvida, com uma enorme vontade de saber mais sobre ela, pelo que não tenho dúvidas que vai aparecer nos próximos volumes - além de que o diálogo com Percy foi uma coisa de outro mundo.
A Maldição do Titã tem pontos fortes que incluem o desenvolvimento das emoções e do próprio conflito, mas também tem alguns pontos fracos como a relação quase forçada com os últimos dois, havendo personagens que podiam ter sido muito melhor desenvolvidas e outras que ficaram AINDA por desenvolver, como Grover que, por muito estranho que possa parecer, continua quase sempre de lado e não consigo vê-lo como uma personagem forte, quando comparado com Zoe ou Tália que não foram tão importantes nos últimos dois volumes, pelo que Grover, enquanto um dos três protagonistas iniciais (Percy, Grover, Annabeth), já se devia ter estabelecido como personagem forte e não apenas presente. Por outro lado, ao contrário de Ladrão de Raios e Mar de Monstros, A Maldição do Titã começa perto do Inverno, pelo que há o conhecimento da Colónia durante esse período do ano e há uma maior interação com outros personagens de outras casas que não têm para onde ir, ou é demasiado perigoso para eles como Silena, filha de Afrodite, que me despertou em muito, a atenção com a sua relação tumultuosa com as Caçadoras de Artémis e a sua não adesão ao amor.
Outros títulos da colecção Percy Jackson
*Percy Jackson e o Ladrão do Olimpo 
*Percy Jackson e o Mar de Monstros
*Percy Jackson e a Maldição do Titã
*Percy Jackson e a Batalha do Labirinto
*Percy Jacson e o Último Olimpiano

Outros títulos da colecção Heróis do Olimpo:
*O Herói Perdido
*O Filho de Neptuno
*A Marca de Atena
*A Casa de Hades
*O Sangue do Olimpo

 Outros títulos da colecção Magnus Chase: 
*Magnus Chase and the Gods of Asgard: The Sword of Summer


Deixe um comentário

Tens uma opinião? 3,2,1 GO